AVIVAMENTO HOJE – Habacuque 3:1-2

28 de julho de 2019
AVIVAMENTO  HOJE – Habacuque 3:1-2

James Edwin Orr,  nascido em 1912, em Belfast,  capital  da Irlanda do Norte,  pastor batista, escritor e professor,  foi um grande avivalista do século passado. Para ele a melhor definição de avivamento é “tempos de refrigério… na presença do Senhor” (At 3:20).  Foi exatamente esta a experiência vivida por Habacuque….

A relação de Habacuque com Deus, segundo seu livro,  se deu em três etapas: discutindo – sentença (cap. 1); entendendo – visão (cap. 2), reconhecendo – cântico   (cap. 3).  *** As discussões de Habacuque com Deus (cap. 1) estavam relacionadas a: prevalência da violência e da corrupção na sociedade judaica; aparente  silencio e inércia de Deus diante dos graves problemas da nação;  reação, a seus olhos, incompreensível de Deus usando a nação caldéia (babilônios) para oprimir Judá  num cativeiro de 70 anos. *** O entendimento de Habacuque   (cap. 2) se deu depois que ele se colocou na torre de vigia e recebeu uma direção clara de Deus sobre o que ele faria no futuro – usaria os medo-persas para vencer os babilônios e assim restabelecer a liberdade política e espiritual da nação judaica. *** O reconhecimento de Habacuque (Cap. 3) se deu pelo compreensão de que o resultado final de todos estes movimentos duros, difíceis e incompreensíveis seria um grande e vigoroso AVIVAMENTO.

Estamos  nos aproximando do nosso quinto ano como igreja organizada e independente. Tendo caminhado, assim, durante 13 anos, o sentimento mais forte do meu coração é que nossa maior necessidade é de um genuíno avivamento.             Por isso, há vários domingos estamos refletindo neste livro que inspira nossa mensagem central para 2019: “Avivados no Espírito Santo”. A pergunta  chave que hoje fazemos ao texto é: COMO PODEMOS VIVER O AVIVAMENTO HOJE?

Habacuque,  sabiamente  nos ensina:

I – AVIVAMENTO HOJE ENVOLVE A COMUNICAÇÃO COM DEUS: ORAÇÃO (v. 1a)

  1. Oração pessoal (“Oração do profeta Habacuque…”)

Do começo ao fim de seu livro, vimos Habacuque prioritariamente envolvido com a oração. O caminho do avivamento foi, é e sempre será o caminho da oração,  que envolve claramente uma responsabilidade pessoal. Seremos uma igreja de oração o dia em que cada um de nós estiver conectado  particularmente com Deus em oração!

  1. Oração de celebração (“… sob a forma de canto…”)

Habacuque que chegara à presença de Deus resmungando (1:2-3a), agora está celebrando, pois tem a convicção de ter sido acolhido por Deus…. Avivamento tem a ver com uma forte convicção de que Deus pode, quer mudar realidades que estão à nossa volta. E quando Ele assim faz, a melhor coisa que temos a fazer é exaltá-LO com fez o profeta….

  1. Exemplo de oração e avivamento….

“O principal líder do avivamento em Gales, na Grã-Bretanha, foi Evan Roberts. Antes  de eclodir esse mover do Espírito, Evan, na manhã de 28 de outubro de 1904, em Blaenanerch, encerrou a reunião com a petição Senhor dobra-nos. Saiu orando: Senhor, dobra-me! Então o Espírito desceu poderosamente sobre o jovem ex-mineiro. Lágrimas corriam de seus olhos. Depois de treze anos de oração, pedindo o avivamento, finalmente, Evan foi cheio do Espírito. Senti que estava em chamas, com o desejo de viajar para cima e para baixo, em Gales, para anunciar o Salvador…. O avivamento não demorou para alcançar todo o país: as Bíblias se esgotaram; as minas de carvão deixaram de ser lugar de devassidão para serem espaços de louvor; as famílias foram transformadas; diferenças denominacionais foram esquecidas; pessoas louvavam a Deus abertamente, cantando nas ruas e nos trens…..” (Avivamento e Renovação – Dr. Shedd)

II – AVIVAMENTO HOJE ENVOLVE A COMUNICAÇÃO DE DEUS: PALAVRA (v. 2a)

  1. Decisão pessoal (v. 2a “Tenho ouvido, ó Senhor, os teus decretos…”)

Habacuque, sendo a boca de Deus para o seu povo, sabia muito bem  que seu ministério profético só se sustentaria com uma conexão direta com o coração de Deus. Esta conexão, no relato de seu pequeno livro, encontrou seu clímax quando ele subiu à torre de vigia e, focado exclusivamente no Senhor, recebeu Dele uma declaração que revolucionou sua vida e as dos servos de Deus ao longo da história: “o justo viverá pela sua fé” (Hc 2:4b). Cada vez que nos aproximamos de Deus por meio das Escrituras, somos avivados. Cada vez que nos distanciamos avançamos num caminho perigoso de acomodação, indiferença e morte!

  1. Reação pessoal (v. 2a “… e me sinto alarmado…)

Assim como aconteceu  no passado, as declarações de Deus no presente continuavam a mexer com o coração de Habacuque. Se queremos um avivamento genuíno, temos dois perigos sérios a enfrentar: primeiro não crer que Deus fala hoje conosco; segundo considerar a comunicação de Deus hoje como uma comunicação humana, banal, irrelevante, rotineira, fria e vazia. Esta situação de mornidão espiritual, em que ouvimos mas não reagimos, é um sinal evidente da necessidade de um avivamento (ex.: quantos se lembram do sermão passado? que tipo de mudança ele provocou na sua vida?)

  1. Exemplo de avivamento e Palavra.: “Uma renovação realizada pelo Espírito cria fome pelas Escrituras. George Whitefield, pregador renomado do Primeiro Despertamento da Inglaterra e nas colônias americanas, orava sobre cada linha da Bíblia e até sobre as palavras separadamente, convicto de que Deus estava falando com ele. Benjamim Franklin (ver nota abaixo) se apressava para ouvir Whitefield, quando reunia multidões, para silenciosamente absorver a mensagem que proclamaria a céu aberto. Alguém questionou o interesse de Franklin em assistir à pregação em que ele não cria. Sua resposta foi contundente: é verdade que não creio, mas ele crê” (“Avivamento e Renovação – Dr. Shedd)

Nb.: Benjamin Franklin foi um jornalista, editor, autor, filantropo, político, abolicionista, funcionário público, cientista, diplomata, inventor e enxadrista estadunidense. Foi um dos líderes da Revolução Americana, conhecido por suas citações e experiências com a eletricidade.

III – AVIVAMENTO HOJE  ENVOLVE A SOBERANIA DE DEUS: SUBMISSÃO (v. 2 b)

“Senhor” é palavra chave neste versículo, bem como em todo o livro de Habacuque….

  1. O avivamento é do Senhor (v. 2b “Aviva….”)

Habacuque está certo de que os avivamentos estabelecidos nas agendas humanas não têm, necessariamente, correspondência  na agenda divina…. Homens, por melhores que sejam e por mais que estejam ligados a Deus, não podem por si mesmos produzir qualquer tipo de avivamento.

  1. A obra é do Senhor (v. 2b “… a tua obra, ó Senhor…”)

Habacuque, consumido pela gravidade dos acontecimentos terríveis que envolveram o seu povo, foi tentado a duvidar e negar sintonia de Deus com Judá. Contudo, avivado pelo Senhor,  redescobriu o que sempre soube: Judá era nação separada, escolhida, propriedade exclusiva do Senhor, obra Dele que jamais seria abandonada.

Como igreja  precisamos aquecer sempre em nosso coração a visão de que somos também povo eleito, separados em Cristo para uma nova aliança, servos de Jesus, alvos de uma boa obra de Deus (Fp 1:6; Mt 16:18)

  1. O tempo é do Senhor (v. 2b “… no decorrer dos anos…”)

Habacuque fez uma retrospectiva histórica e sentiu-se em paz ao discernir que Deus não se ausenta história, não sai de férias, não desaparece do cenário das nações, pelo contrário, vai agindo na marcha do tempo de forma fiel (Ex….)

Olhamos, também, para o tempo com duas certezas: ele não para (ex. do cancioneiro popular) e ele está sendo inteiramente conduzido por Deus…). Avivamento é perceber os movimentos divinos na marcha do tempo e reafirmar Sua soberania…

  1. O propósito é do Senhor (v. 2b “… e no decurso dos anos faze-a conhecida…”)

Habacuque certificou-se, com toda convicção, que as manifestações de Deus na  história tinham um objetivo definido: evidenciar seu propósito de ser um Deus conhecido pessoalmente, experimentalmente, continuamente e plenamente.

Em Cristo provamos hoje da palavra profética de Oséias: “conheçamos e prossigamos em conhecer o Senhor” (Os 6:3). Avivamento é, indubitavelmente, conhecimento do Senhor e da obra do Senhor.

  1. A misericórdia é do Senhor (v. 2 b “…. na tua ira, lembra-te da misericórdia…”)

Por traz   do Deus que usava nações para disciplinar Judá, liberando Sua ira santa e justa, estava o Deus que tinha como alvo maior derramar da Sua misericórdia.

Na cruz do calvário Jesus recebeu a ira de Deus para poder nos ministrar, após sua ressurreição, a misericórdia do Deus que nos ama a despeito de quem somos e do que fazemos!

  1. Exemplo de avivamento e soberania de Deus: “muitos dos historiadores seculares concordam que foi o despertamento evangélico do século XVIII, liderado por homens como John Welsley e George Whitefield, que salvou a Inglaterra de uma experiência semelhante à da França durante a revolução francesa. A igreja estava tão cheia de vida e de poder que a sociedade inteira foi afetada” (Martin Loyde Jones).

CONCLUSÃO

No livro “O clamor por um avivamento”, o famoso evangelista Richard O. Roberts descreve o avivamento como “aquela estranha e soberana obra de Deus na qual ele visita o seu próprio povo, restaurando-o, reanimando-o e libertando-o para receber a plenitude de suas bênçãos”.

Esta  bênção plena exige três compreensões básicas: 1) Avivamento hoje envolve a comunicação com Deus – oração; 2) Avivamento hoje envolve a comunicação de Deus – Palavra; 3.) Avivamento hoje envolve o reconhecimento da soberania do Senhor.

“Avivamento significa a obra de Deus restaurando numa igreja, de maneira incomum, os padrões que o Novo Testamento estabelece como inteiramente comuns (J. I. Packer)”. Abra-se, agora, para este movimento incomum do Espírito, trazendo você para estas realidades comuns imprescindíveis para um AVIVAMENTO HOJE: mais oração, mais Palavra, mais soberania de Deus!

    Sermão  ministrado em 07.04.2019 pelo Pr. JAIR FRANCISCO MACÊDO.

PARA A CEIA:

“Avivamento não é descer a rua com um grande tambor; é subir ao Calvário em grande choro”. (Roy Hession)

 

Deixa seu comentário

Your email address will not be published.