Conectados com a Seara do Senhor na Cidade – JO 4:31-38

31 de julho de 2016
Conectados com a Seara do Senhor na Cidade – JO 4:31-38

“Nesse ínterim” (V. 31), a primeira expressão do texto, remete-nos para os versos 1 a 30 deste capítulo quatro de João (Nb.: para maior compreensão deles acesse nesta área de sermões o sermão “GANHANDO UMA ALMA NA CIDADE”). Jesus passou por Sicar, cidade samaritana, porque tinha um plano específico: lançar no coração de uma mulher samaritana a semente do Evangelho. O resultado desta semeadura foi extraordinário: ela acolheu a Palavra e imediamente testemunhou sobre Jesus aos seus patrícios que, igualmente, identificaram-se com o Senhor (Jo 4:39). A partir desta experiência num contexto urbano, Sicar, Jesus dialogou com os discípulos usando uma figura rural: semeadura e ceifa. Por ela o Evangelho nos chama hoje para compreender que todos aqueles que já foram alcançados por Jesus são responsáveis pelos que ainda não foram alcançados. Por isso,  precisamos estar CONECTADOS COM A SEARA DO SENHOR NA CIDADE. Quais são os elementos que envolvem esta conexão?

 

I –  COMPROMETENDO-NOS COM O SENHOR DA SEARA (v. 31-34)

 

*  A missão envolve comunhão com o Senhor da seara

 

Os discípulos, preocupados com as necessidades de Jesus, providenciaram comida e O estimularam a dar uma parada para se alimentar (v. 31). Contudo, apesar de provavelmente estar com fome, viu na oferta uma oportunidade para mostrar-lhes   uma comida muito mais importante (v. 32-33):

 

** v. 32 Uma comida pessoal – “eu tenho” – a relação com ela é uma responsabilidade individual; uma comida para ser comida – “para comer” – mais do que saber sobre ela é preciso apropriar-se dela; ignorada pelos discípulos – “que vós não conheceis” – iniciando a caminhada do discipulado eles ainda não tinham a compreensão do seu valor;

 

** v. 33 – Uma comida que não é providenciada por homens – “ter-lhe-ia alguém trazido o que comer”? – apesar de Deus usar homens para nos nutrir espiritualmente, Seu plano prioritário é que esta nutrição se dê sem intermediações humanas;

 

** v. 34 – Uma comida que tem como essência fazer a vontade de Deus –  “minha comida consiste em fazer a vontade….” – é preciso construir uma relação de proximidade  com Deus antes de servir a Deus; uma comida conectada com o propósito específico de Deus –  “…..daquele que me enviou e realizar a sua obra” – assim como Jesus veio em nome de Deus para realizar a obra de Deus, somos enviados de Jesus (v. 38a; 20:21) para fazer a obra de Jesus, ou seja, somos apenas parceiros de uma obra que Ele mesmo realiza, na qual  temos um papel específico a desempenhar. A lição é clara: a comunhão como o Senhor da seara precede a missão que nos tem sido dada pelo Senhor da seara (Mc 3:13-15).

 

II – COMPROMETENDO-NOS COM AS DEMANDAS DA SEARA DO SENHOR (v. 35-36a)

 

*  A missão envolve discernimento da dinâmica da seara

 

** v. 35 a – Demanda da urgência – “não dizeis que ainda há quatro meses até a ceifa”? Tempo é um fator chave na lavoura: há o tempo certo de plantar e o de colher, existe um ciclo natural para cada tipo de planta que precisa ser conhecido e respeitado. Na seara do Reino, igualmente, precisamos estar atentos ao ciclo do “plantio e colheita de pessoas”…..

 

** v. 35b – Demanda do interesse – “Eu, porém, vos digo, erguei os olhos e vede os campos….” –  o lavrador comprometido com o seu trabalho não se dá o direito de desviar seu olhar da lavoura em momento algum, pois sabe da grande responsabilidade que pesa sobre os seus ombros . Na seara do Reino somos constrangidos a sair de nós mesmos e de nossos interesses, para convergir nosso coração naqueles que o Senhor tem colocado para serem por nós alcançados, demonstrando por eles uma amizade traduzida em proximidade, carinho e serviço.

 

** v. 35b – Demanda do diagnóstico – “…. pois já branquejam para a ceifa” – o “ainda” e o “já” deste verso fazem um sábio contraste.  Jesus acabara de lançar suas sementes no campo dos samaritanos e, contrariando um ciclo natural que envolve semeadura, cuidado da semente, crescimento e colheita (“quatro meses…”), os frutos vieram de forma imediata por meio da mulher samaritana alcançada por Jesus (v. 39-42, Am 9:13). Na seara do Reino somos desafiados a perceber as pessoas que o Espírito Santo colocou do nosso lado que estão sedentas do Evangelho e precisam ser colhidas para Deus

 

III – COMPROMETENDO-NOS COM A PARCERIA NO TRABALHO DA SEARA (v. 36b-37

 

** A missão envolve um trabalho em equipe

 

** v. 36a – O Senhor da seara reconhece o trabalho do ceifeiro agora e na eternidade – “O ceifeiro recebe desde já a recompensa e entesoura o seu fruto para a vida eterna…” – Jesus afirmou que há um júbilo maior nos céus quando um pecador se arrepende (Lc 15:7), mas este júbilo se estende também àqueles que têm o privilégio de lançar num coração as sementes do evangelho e vêm o resultado numa conversão genuína e num compromisso sério com o discipulado…  Este reconhecimento, porém, se plenificará quando o ceifeiro tiver experimentando a eternidade…..

 

** v. 36b-37 – O  Senhor da seara reconhece igualmente o trabalho do semeador – “e, dessarte, se alegram tanto o semeador como o ceifeiro; pois, no caso, é verdadeiro o ditado – um é o semeador e outro o ceifeiro”.  Existem situações em que  Deus usa uma pessoa de forma mais direta para semear e colher uma pessoa para o Seu Reino (meu exemplo). Mas, normalmente, Deus vai usando pessoas diferentes em lugares diferentes e circunstâncias diferentes para cumprir o seu propósito salvador.

 

Assim como no plano terreno “ninguém toca uma lavoura sozinho”, na seara do Reino o Espírito Santo levanta vários tipos de trabalhadores, de semeadores a ceifadores, usando cada um dentro de suas características, habilidades, dons, cultura, experiência. A missão não é solitária, é sempre solidária!

 

** v 38 – O Senhor da seara faz a conexão dos semeadores e ceifadores – “eu vos enviei para ceifar o que não semeastes; outros trabalharam e vós entrastes no seu trabalho” – os discípulos, que viram Jesus lançar as sementes no povo samaritano, foram por Ele enviados para ceifar os frutos desta primeira semeadura feita por Ele na Samaria (At 8:4-8 Filipe). Outros que também semearam no passado foram os profetas e os discípulos de alguma maneira deram continuidade também ao trabalho deles. Os sementeiros e ceifeiros são muitos, mas um só é o Senhor da seara que coordena este grande projeto de expansão do Reino.

 

CONCLUSÃO

 

 

O “Globo Reporter” desta sexta mostrou pessoas ligadas às cidades que decidiram fazer da plantação uma prioridade de suas vidas. Uma destas histórias chamou mais minha atenção: na cidade de Curitiba um clube, como qualquer outro, oferece piscinas, quadras esportivas, campos de futebol e golfe, extensas áreas verdes, mas também a oportunidade de envolvimento direto com a plantação de alimentos orgânicos. O projeto desta Horta Comunitária de Alimentos Orgânicos nasceu há 25 anos e hoje conta com 433 canteiros, que são doados aos sócios interessados juntamente com as mudas, as ferramentas e as orientações para o cultivo. O sucesso tem sido tão grande que hoje têm uma fila de 250 pessoas interessadas em entrar no Projeto. O casal Érica Matsuda, farmacêutica, e Ludger Tamoki, publicitário, por exemplo,   nos finais de semana são semeadores e ceifeiros desta criativa horta comunitária, de onde tiram todas as verduras consumidas pela família.

 

Num plano espiritual,  Jesus plantou em nossos corações as santas sementes do Evangelho que transformaram nossas vidas. Assim como o Deus Pai o enviou a nós, Ele nos envia de volta para a nossa cidade,  chamando-nos nos conectarmos efetivamente com a Sua seara na cidade.  Para isto precisamos: de um relacionamento diferenciado com ELE –  Senhor da seara; coragem para assumir as demandas da SUA seara  (urgência, interesse, diagnóstico); disposição para trabalharmos  na SUA seara em equipe por meio das células e pequenos grupos de discipulado. Como igreja reunimo-nos aqui dominicalmente para nos equiparmos para a qualificação de nosso serviço. De segunda a sábado estamos espalhados pela cidade, cada um com seu pequeno canteiro de pessoas, num trabalho simples, discreto e humilde, mas que Deus tem usado e usará para sua honra e glória. Em outubro, no Oitavo Retiro Vida Vitoriosa, reuniremos as pessoas que estão recebendo agora a  semeadura do Reino e as que receberam há mais tempo e agora já estão prontas para a ceifa.

 

JAIR FRANCISCO MACEDO

SERMÃO PREGADO EM 31.07.2016

Deixa seu comentário

Your email address will not be published.