Perseverando em seguir o Cristo – LC: 24:44-53

29 de abril de 2018
Perseverando em seguir o Cristo – LC: 24:44-53

Lucas, no início do livro seu livro   “Atos dos Apóstolos”, afirmou que o grande objetivo de Jesus, após a Sua morte e ressurreição, foi “apresentar-se vivo aos seus discípulos , com muitas provas incontestáveis, aparecendo-lhes durante quarenta dias e falando das coisas concernentes ao Reino de Deus” (At 1:3). Ele assim fez, pois sabia que  a expansão de Sua obra só aconteceria se aquele pequeno grupo de homens estivesse plenamente convicto de sua ressurreição e, consequentemente, de sua divindade. Ao fazermos nossa quarta reflexão sobre a ressurreição, todas baseadas em Lc 24, precisamos compreender que a grande transformação que Jesus quer operar em nós e através de nós, passa por uma real convicção da Sua ressurreição. A pergunta recorrente é: COMO  PODEMOS PERSEVERAR EM SEGUIR O CRISTO RESSURRETO?

I – PERSEVERAR EM SEGUIR O CRISTO RESSURRETO REAFIRMANDO A SUA CENTRALIDADE NAS ESCRITURAS SAGRADAS (v. 44 “… são estas as palavras que eu vos falei, estando ainda convosco: importava se cumprisse tudo o que de mim está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos”)

  1. A ressurreição proporciona-nos a experiência com um Cristo REAL: ELE “está… fala… cumpre”
  2. A ressurreição proporciona-nos um Cristo PLENO: “tudo”  que sobre ELE foi  dito e que por Deus foi dito, cumpre-se integralmente NELE
    • II Co 1:20 “…. tantas quantas são as promessas de Deus todas elas têm o SIM EM JESUS”…

II – PERSEVERAR EM SEGUIR O CRISTO RESSURRETO RECONHECENDO SER ELE O MELHOR INTÉRPRETE DAS ESCRITURAS SAGRADAS (v. 45 “Então, lhes abriu o entendimento para compreenderem as Escrituras”)

1. A  ressurreição de Jesus revela quem nós somos: pessoas fechadas para o entendimento das Escrituras

      As razões que levaram os discípulos do passado a terem o entendimento fechado são as mesmas que fecham também hoje nosso entendimento: incredulidade (24:25),  medo (24:37), perturbações (24:38), dúvidas (v. 38).

2. A ressurreição de Jesus revela quem pode abrir nosso entendimento para a compreensão das Escrituras: ELE mesmo….

    a) Jesus é o centro das Escrituras (24:26; )

    b) Jesus é o melhor professor das Escrituras (24:32; Mt 7:28-29; Mt 11:27-30; Lc 4:16-22; Lc 4:31-32; Lc 21:, 14-15, 38; Jo 6:44-45; Jo 6:68-69; Jo 7:16;Jo 7:46; Jo 8:26-28;  Jo 12:47-49; Jo 13:17).

    c) Jesus abre hoje nosso entendimento para a compreensão das Escrituras  por meio da comunhão e reflexão pessoal, bem como por meio da comunhão e reflexão comunitária…..

III – PERSEVERAR EM SEGUIR O CRISTO RESSURRETO ESTABELECENDO UMA CONEXÃO PERMANENTE ENTRE SUA CRUCIFICAÇÃO, RESSURREIÇÃO E MISSÃO (v. 46-48 “ Está escrito que  o Cristo havia de padecer e ressuscitar… e que em seu nome se pregasse….”)

1. “ESTÁ ESCRITO”

      a) “O Cristo havia de padecer” (v. 46)

           Na crucificação de Cristo recebemos justificação = ficamos livres da condenação do pecado;

     b) “O Cristo havia de ressuscitar dentre os mortos no terceiro dia” v

          Na ressurreição de Cristo recebemos santificação = ficamos capacitados para enfrentar com vitória o poder do pecado (Rom 6:10-14)

     c) O Cristo havia de comissionar (v. 47-48)

          * MISSÃO

              ** Autoridade: “nome de Cristo” (v.47

             ** Mensagem: “arrependimento…” em Cristo (v. 47)

             ** Objetivo: “remissão de pecados” = salvação (v. 47)

              ** Público: “todas as nações”(v.  47)

             ** Responsabilidade: “vós sois testemunhas destas coisas” (v. 48)

2. Não podemos seguir um Cristo mutilado, mas integral

III – PERSEVERAR EM SEGUIR O CRISTO RESSURRETO REVESTINDO-NOS DE SEU PODER (v. 49 “Eis que eu envio sobre vós a promessa de meu Pai; permanecei, pois, na cidade, até que do alto sejais revestidos de poder”)

* “PODER” =  ESPÍRITO SANTO (At 1:3-4, 8):

1. É um presente de Jesus para nós (“Eis que EU envio sobre vós…”)

2. É uma promessa do Pai para nós ( “… a promessa de meu Pai…”)

3. Envolve uma compreensão clara de toda a obra de Cristo ( “… permanecei pois na cidade até que do alto sejais revestidos de poder…”)

    a) Para os discípulos de Jesus no passado:

        a) Era que uma questão geográfica: tinham que ficar em Jerusalém

        b) Era uma questão vertical: o revestimento do Espírito viria do “alto”

        c) Era uma promessa que se cumpriria na exaltação de Jesus

            Jo 7:37-39; Jo 16:7; At 2:32-33

    b)  Para nós discípulos hoje

        Não precisamos ir a Jerusalém nem esperar a promessa, pois ela já é uma realidade permanente para quem crê em Jesus. Cientes de que ela se origina no “Alto”, precisamos apropriar-nos  em arrependimento, oração e fé, do poder do Espírito que já é nosso em Jesus!

CONCLUSÃO (v. 50-53)

No Cristo ressurreto recebemos as Escrituras com entendimento e o poder do Espírito Santo. Assim, sendo por Ele abençoados (v. 50), precisamos estar convictos de que nos céus está entronizado (v. 51), esperando de  todos nós a contrapartida da adoração jubilosa (v 52) e da comunhão perseverante (v. 53).

PR. JAIR FRANCISCO MACEDO

           PREGADO EM 29.04.18

Deixa seu comentário

Your email address will not be published.