Perseverando na missão (Evangelização) – Atos 8:26-40

21 de janeiro de 2018
Perseverando na missão (Evangelização) – Atos 8:26-40

Quero começar nossa  reflexão  desta noite com duas perguntas importantes: quantos aqui foram levados a Cristo através de um testemunho pessoal específico? Quantos aqui já levaram alguém a Cristo através de um testemunho pessoal específico? E para este foco que o Espírito Santo nos conduzirá como comunidade nesta noite….

Ao longo destes últimos domingos estivemos respondendo a seguinte pergunta: “Para que existimos”? Examinando as Escrituras descobrimos que nós existimos para: celebrar a Deus com palavras e ações ADORANDO; fazer parte da família de Deus COMUNGANDO; amar o povo de Deus SERVINDO; desenvolver e promover o desenvolvimento do caráter de Deus DISCIPULANDO. Hoje, trataremos de outro propósito importantíssimo: existimos para comunicar o amor de Deus  MISSIONANDO (EVANGELIZANDO).

Filipe, personagem principal do nosso texto, depois de liderar um grande avivamento em Samaria com pregação, curas, libertações de espíritos imundos,    conversões e batismo, foi surpreendentemente convocado para uma missão completamente diferente da que estava fazendo: evangelizar uma pessoa. Aquilo que pareceu ser uma mudança de rota, foi na verdade a reafirmação de um princípio  que permeia todas as Escrituras Sagradas: Deus é uma pessoa e chama pessoas particularmente para receberem a salvação em Jesus e desenvolverem com Ele um relacionamento pessoal que, essencialmente, envolve comunhão e missão. Por isso, nesta noite, o Espírito Santo oferece-nos uma oportunidade singular para discernirmos os princípios fundamentais que ajudar-nos-ão a PERSEVERAR NA MISSÃO (EVANGELIZAÇÃO)…..

I – PERSEVERAR NA MISSÃO ENVOLVE SUBMISSÃO  (v. 26 “Um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: dispõe-te e vai para o lado do Sul, no caminho que desce de Jerusalém a Gaza; este se acha deserto. Ele se levantou e foi.”)

  A ordem do anjo a Filipe é clara, objetiva, específica, concreta e direta, mas do ponto de vista humano parece ser absolutamente ilógica:  porque  deixar uma cidade onde, por meio da pregação e dos milagres, multidões são levadas a Jesus (v.5-8) para ir a um lugar deserto, onde não tinha pessoa alguma nem cidade? Filipe, porém, não questiona uma possível ausência de lógica na estratégia divina – obedece imediatamente.  Esta mudança de agenda me faz lembrar uma palavra relevante dita por Leighton Ford, vice-presidente por muitos anos da Associação Billy Graham: “se o homem tem uma alma, e ele a tem; e se essa alma pode ser perdida ou salva por toda a eternidade, e ela pode; então a coisa mais importante no mundo é trazer um homem a Jesus Cristo”. Assim como ordenou que Filipe se engajasse no evangelismo pessoal, Deus determina que saiamos obedientemente hoje em busca daqueles que não conhecem Seu amor, obedecendo sem comodismo, indiferença, medo, ativismo, religiosidade e isolamento.

II – PERSEVERAR NA MISSÃO ENVOLVE APROXIMAÇÃO (v.27- 29 “Eis que um etíope…, superintendente… viera adorar… vinha lendo o profeta Isaías… então disse o  Espírito a Filipe: aproxima-te desse carro e acompanha-o)

A câmera de Lucas, sabiamente, tira o foco de Filipe para nos fazer ver um  homem com:

  • Singularidade racial  (v. 27) – ele era“etíope” (atual Sudão)  – um  representante do continente africano;
  • Singularidade social (v. 27) – “eunuco” = “castrado” (Mt 19:12), “alto oficial de Candace”, “superintendente de todo o seu tesouro” , um homem de grande importância na equipe econômica real, uma espécie de ministro das finanças;
  • Singularidade espiritual  (v. 27) – “… que  viera adorar em Jerusalém” tinha interesse nas manifestações comunitárias de espiritualidade e, mais do que isto, “… vinha lendo o profeta Isaías” (v. 28) – tinha um grande interesse na Palavra de Deus, pensando nele como um peixe a ser pescado, estava verdadeiramente “mordendo a isca”….

Neste exato momento, Lucas diz que o Espírito Santo, que levara Filipe e aquele etíope para o deserto, diz a Filipe de forma direta, clara, inequívoca e desafiadora: “aproxima-te deste carro e acompanha-o” (v. 29). O princípio missionário aqui é muito claro: a evangelização é um movimento do Espírito que atua no cristão plantando-o em lugares específicos onde pessoas específicas precisam da graça de Deus revelada em Jesus e, concomitantemente, atua nestas pessoas específicas preparando-as para estabelecerem um diálogo que viabilize uma genuína transformação espiritual.

Aprendemos aqui que sem aproximação não há missão. Quanto maior forem os seus relacionamentos com pessoas que não conhecem a Jesus, maior a probabilidade do Espírito Santo agir através de você criando pontes naturais para o Reino. Talvez você diga assim: “não gosto do meu trabalho, da minha escola, da minha vizinhança, da minha família,  pois tem muita gente incrédula…”. Se esta é a sua realidade, veja nela uma oportunidade proporcionada pelo Espírito Santo para fazer diferença! Você não precisa ir para o campo missionário, você já está no campo missionário!

III – PERSEVERAR NA MISSÃO ENVOLVE VERBALIZAÇÃO (v. 30-35 Filipe … perguntou: compreendes o que vens lendo?… como poderei entender se alguém não me explicar?… e começando por essa passagem da Escritura anunciou-lhe a Jesus…”)

A partir da aproximação, Filipe sabiamente estabeleceu um diálogo com o etíope que nos dá duas dicas missionárias importantíssimas:

  • Ele focou no interesse do etíope (v. 30 “compreendes o que vens lendo”?) –  ensinando-nos que a evangelização só será eficiente se for uma resposta direta para as indagações da alma daqueles que queremos alcançar. Os temas da evangelização devem nascer, antes de tudo, no coração daqueles que queremos alcançar (Ex.: o amigo que fala sempre da corrupção  na política brasileira fornece um gancho para afirmar que esta corrupção não é uma exclusividade dos homens dos homens instalados nos palácios, mas de todos os homens que vivem longe de Deus…)
  • Ele focou na Escritura e em Jesus (v. 30-35) – o Espírito que falara com Filipe estava falando com o etíope na medida em que ele lia Is 53: ele estava, assim,  no lugar certo, na hora certa, fazendo a leitura certa com o interesse certo, com a pergunta certa, ao lado da pessoa certa e, sem esconder sua ignorância nem sua disposição para aprender mais (v. 31), acabou ouvindo a mensagem certa – Jesus, segundo Is 53 e toda a Escritura, é a única salvação oferecida por Deus ao homem pecador.

Aprendemos aqui que sem uma verbalização clara, simples, direta e amorosa das Escrituras, não adianta a aproximação. E ao abordar as Escrituras faz-se necessário estabelecer uma centralidade em Jesus (II Co 6:18-20). Ex.: Sandoval

IV – PERSEVERAR NA MISSÃO ENVOLVE INTEGRAÇÃO (v. 36-38  “… que impede que eu seja batizado….? é lícito se crês de todo o coração… Filipe batizou-o…”)

A  missão pessoa a pessoa se completa com a integração daquele que foi alcançado pelo Evangelho de Jesus. Filipe, no poder e na oportunidade do Espírito,  conduziu o etíope para firmar um compromisso definitivo  com o Reino de Deus por meio da:

  • Compreensão da dimensão comunitária da fé  – a pergunta do etíope “que impede que eu seja batizado” (v. 36) revela que ele compreendera por Filipe que a fé é pessoal e comunitária;
  • Compreensão da dimensão pessoal da fé – “é lícito se crês de todo coração” (v. 37; Rom 10:9-12);
  • Compreensão  da urgência de uma consagração real ao Senhor – “…. Filipe batizou o eunuco…” (v. 38) – sem um programa formal de “educação cristã” Filipe batizou um homem que retornaria a uma terra em que não havia igreja nem cristianismo.

Aprendemos, assim, que o esforço da evangelização pessoal precisa ser estendido até uma integração eficiente pelo batismo…..

CONCLUSÃO

  1. Visão geral da ação missionária de Filipe em At 8 (segundo John Stott):
    a) Método: samaritanos – evangelização de massa; etíope – evangelização pessoal
    b) Mensagem: a mesma – Jesus Cristo
    c) Público: alcançou para Jesus os primeiros samaritanos e o primeiro africano
    d) Recurso: o Espírito Santo
  2. A missão para Filipe envolveu três princípios que também envolvem a nossa missão. Alguns missiólogos, de forma simples, dizem que é a missão 3 P: Presença – precisamos nos relacionar com as pessoas que Deus “naturalmente” coloca no nosso caminho, para, por meio de uma amizade sincera, ganharmos o direito de sermos ouvidos; Proclamação – precisamos verbalizar de forma simples, aproveitando as dicas e oportunidades do Espírito Santo, o que diz as escrituras sobre Jesus; Persuasão – precisamos ir ao ponto central: todo homem é pecador e  precisa arrepender-se e crer em Jesus, ser batizado e integrar-se à comunidade de Jesus.
  3. Esta ação missionária de Filipe:
    a) Trouxe para o etíope salvação e júbilo (v. 39) – Minha experiência…..

    b) Trouxe para Filipe a oportunidade para um novo empreendimento missionário (v. 39-40). Ele que já  fora usado extraordinariamente na Samaria alcançando multidões, com a mesma mensagem ,Jesus,  e com o mesmo recurso, Espírito Santo, viabilizou o alcance de um só homem que haveria de tornar-se, muito provavelmente, no pioneiro da evangelização do continente africano. Tudo começou com um “dispõe-te e vai” (v. 26) – postura que o Senhor Jesus requer de cada um de nós agora….. “O melhor uso que se pode dar à vida é emprega-la em algo que sobreviva a ela” (William James).

Pr Jair Francisco Macedo
Sermão pregado em 21/01/2018

Deixa seu comentário

Your email address will not be published.