Perseverando na Torre – PV 18:10

21 de junho de 2019
Perseverando na Torre – PV 18:10

“Torre forte é o nome do Senhor, à qual o justo se acolhe e está seguro”

 

  1. Incêndio e queda da torre Ed. Wilton Paes de Almeida

a) Características: tombado pelo patrimônio histórico; referência da arquitetura da época; 11.083 m2 de área construída; 372 pessoas morando; 142 famílias aproximadamente;

b) Problemas: ausência de autoridade; ausência de manutenção; ausência de alternativas efetivas de moradia; ausência de bom senso…

c) Resultado: fogo, destruição e morte…

  1. O homem, historicamente, tem uma carência por torres

a) Elas são construídas para suprir, dentre outras, duas necessidades humanas: segurança (Ne 3:1) e significado (world trade center)

b) Torres humana, porém, jamais satisfarão as necessidades humanas…

I – PERSEVERANDO NA TORRE POR CAUSA DE SUA QUALIDADE:

     “Torre forte…”

* Como é a torre?

O escritor de provérbios descreveu esta torre como uma torre de qualidade singular por causa de sua “força….”

No dia em que Davi, pela força do Senhor, se viu livre de todos os seus inimigos, inclusive o rei Saul, ele escreveu: “Laços de morte me cercaram, torrentes de impiedade me impuseram terror, cadeias infernais me cingiram, tramas de morte me surpreenderam; na minha angústia invoquei o Senhor, gritei por socorro ao meu Deus. Ele do seu templo ouviu a minha voz, e o meu clamor lhe penetrou os ouvidos…Contigo desbarato exércitos, com o meu Deus salto muralhas… o Deus que me revestiu de força e aperfeiçoou  o meu caminho” (Sl 18:4-6, 29, 32). Daví, como experiente guerreiro, descreve o drama das  batalhas humanas de maneira positiva: a força do inimigo – impiedosos, terroristas, assassinos, enviados do inferno…; a sua força – oração, capacitação, fortalecimento,  libertação, vitória e aperfeiçoamento…

II – PERSEVERANDO NA TORRE POR CAUSA DE SUA IDENTIDADE:

“… é o nome do Senhor”

* Quem é a torre?

  1. “Torre forte é o nome do Senhor” = “Deus”   

a) Os nomes na Bíblia:

Apontam para a qualidade, virtude  ou personalidade de quem o possui, bem como para a circunstância histórica vivida pela pessoa.

Ex.: Jacó, depois de lutar com Deus no vau de Jaboque, disse  que não que não o deixaria ir se não fosse abençoado. Deus então lhe perguntou qual era o seu nome. “Jacó”, disse ele. Deus, então, lhe afirmou objetivamente: “já não te chamarás Jacó = suplantador, e sim Israel= príncipe, pois como príncipe lutaste com Deus e com os homens e prevaleceste”(Gn 32:22-28).

b) Os nomes de Deus na Bíblia:

Indicam a personalidade de Deus e marcam as épocas específicas da relação de Deus com o Seu povo…

Ex.: O chamado de Moisés e a sua preocupação com a identidade de Deus….

“Disse Deus a Moisés: eu sou o que sou. Disse mais: assim dirás aos filhos de Israel: eu sou me enviou a vós outros”. “Sou o que sou” = “Javé” = JEOVÁ =  “Senhor” (Ex 3:15 “Disse Deus ainda mais a Moisés: o Senhor, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó, me enviou a vós outros; este é o meu nome eternamente, e assim serei lembrado de geração em geração”

Ex.: Jeová: Shamma – “Deus presente comigo”(Ez 48:35); Rohi – “Deus é o meu pastor” (Sl 23:1);…. (nb.: levar quadro da parede)

2. O texto diz claramente que “torre forte é o nome do Senhor”!  A força não está:

a) No nome da igreja – perigo do eclesiocentrismo (ex. Igreja Presbiteriana do  Brasil);

b) No nome do pastor – perigo da idolatria – Col 2:23 “Tais coisas, com efeito, têm aparência de sabedoria, como culto de si mesmo….”  (ex. reverenda, presidenta, bispa Maurícia);

c) No nome da teologia – perigo da esterilidade doutrinária – Mt 22:29 (“Errais, não conhecendo as Escrituras e o poder de Deus”) – (Ex. academicismo)

III – PERSEVERANDO NA TORRE POR CAUSA DE SEU ACESSIBILIDADE:

“… à qual o justo se acolhe….”

* Como se tem acesso à torre?

  1. É um acesso pessoal (ex.: não é possível ir para a torre de carona)

2. É um acesso real (ex.: meu exemplo)

3. É um acesso sem merecimento (Ex.: torrre de babel – Gn 11:1-9)

a) Is 64:6 “Todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças, como trapo de imundícia; todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniquidades, como um vento, nos arrebatam”

 b) Rom: 3:23 “Não há um justo, nenhum sequer….” 24-18

Ex.: “Não há nada em nós ou feito por nós, em qualquer etapa de nosso desenvolvimento terreno, que nos torna aceitáveis a Deus” (B.B. Warfield, professor do Seminário de Princeton)

  1. É um acesso cristocêntrico

Rom 3:21-28 (Justiça própria – Justiça declarada / DMLOL)

IV – PERSEVERANDO NA TORRE POR CAUSA DE SUA DURABILIDADE

“… e está seguro…”

* Qual a garantia da torre?

  1. Segurança da salvação

a) Jo 10:28-29 “… Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão. Aquilo que meu Pai me deu é maior do que tudo; e da mão do Pai ninguém pode arrebatar”

b) Rom 8:1 “Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus…..

2. Segurança da vitória

a) Jo 16:33 “Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo, eu vencí o mundo”

b) Rom 8:31-37 “… em todas estas coisas, porém, somos mais do que vencedores, por meio daquele nos amou…..”

CONCLUSÃO

  1. POLICARPO.
  2. EX.: RICARDO PINHEIRO, DE 39 ANOS, TENTOU SALVAR OS MORADORES.

Até que ponto estamos interessados na salvação dos homens que estão ao nosso lado, vivendo em torres inseguras e que não trazem significado?

  1. EX.: IGREJA LUTERANA

Até que ponto as torres humanas estão causando estrago na igreja (em nossas vidas):

* Ativismo – igreja sem altar (agendas que só envolvem negócios desta vida)

* Secularismo – igreja sem referenciais éticos (festas dos crentes)

* Pragmatismo – igreja sem Palavra (avanço do falso evangelho)

  1. Apelo

PREGADO: 06.05.2018 por Pr. JAIR FRANCISCO MACEDO.

 

Deixa seu comentário

Your email address will not be published.