Quem nós somos? – IS 49:1-6

7 de janeiro de 2018
Quem nós somos? – IS 49:1-6

Este é um dos textos  do livro de Isaías chamados de “Cânticos do Servo” (os demais são 42:1-9; 50:4-11; 52:13-53:12), os quais,  reconhecem os melhores comentaristas, fazem uma referência direta ao Messias. Mais do que uma referência, aqui, inspirado pelo Espírito Santo, Isaias transcreveu as palavras do próprio Messias, numa descrição clara e concreta que visava responder uma pergunta chave: quem era o Messias? Sabemos, pela revelação do Novo Testamento, que este Messias é Jesus. Foi este o sentimento de todos os Seus seguidores de Jesus, traduzido na palavra dita a Ele por Pedro em duas ocasiões distintas: “Senhor, a quem iremos nós? Tú tens as palavras da vida eterna e nós temos crido e conhecido que Tú és o santo de Deus” (Jo 6:66-69); “Tú és o Cristo, o Filho do Deus vivo” (Mt 16:13-17).

Mas, além de ser uma descrição de Jesus Cristo, este texto é uma descrição do que devem ser todos aqueles que creram em Jesus e passaram a fazer do novo Israel de Deus, a Igreja. Jesus repartiu com seus discípulos esta visão de que seus seguidores eram seus representantes diretos na terra (Jo 17:6,18). A  igreja primitiva, igualmente,  se via intimamente ligada a Jesus ( G l 2:19-20; II Co 5:17-20). Portanto, se quisermos entender quem de fato nós somos, devemos ir a Is 49:1-6, escrito 700 anos antes de Cristo, e encontraremos um diagnóstico preciso da nossa identidade, …. Afinal, QUEM SOMOS NÓS?

I – SOMOS CHAMADOS PELO SENHOR (v. 1 “… o Senhor me chamou…”)

Jesus, o Messias, foi chamado por Deus na eternidade de forma pessoal, clara, objetiva e concreta (Is 42:1a “Eis aqui o meu servo, a quem sustenho, o meu escolhido, em quem a minha alma se compraz”   compare com Mt 3:13-17 “… Este é meu  Filho amado, em quem me comprazo”). Assim como Jesus recebemos um Chamado soberano, pessoal, real, antigo e íntimo…. (minha experiência – carta de 1968; conversão em 75, vocação em 76).

II – SOMOS CAPACITADOS PELO SENHOR (v. 2 “… fez a minha boca….”)

Jesus, o Messias, foi capacitado na eternidade pelo Pai a trazer na terra a Palavra de Deus (Jo 1:1, 14 – palavra encarnada; Jo 7:45-46 – guardas; Hb 4:1-2 “… nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo”). Assim como Jesus foi capacitado pelo Pai, nós temos sido capacitados por Jesus para proclamar a Sua Palavra como “espada aguda e flecha polida” (v. 2, Hb 4:12-13a “Pq a Palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração, e não há criatura que não seja manifesta na sua presença…”)… Exemplos de capacitação da Pedra Viva (células, domingo à noite, domingo pela manhã, discipulado vida em Jesus, DMLOL…

III – SOMOS SERVOS DO SENHOR (v. 3 “Tú és o meu servo…. por quem hei de ser glorificado…”)

Jesus, o Messias, por meio de Sua vida e de Seu ministério, glorificou o Pai de forma cabal: “eu te glorifiquei na terra, consumando a obra que me confiaste para fazer” (Jo 17:4).

Assim como Jesus glorificou o Pai, somos servos chamados para glorificar permanentemente a Deus: “… quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus” (I Co 10:31). Não temos nenhuma autonomia, liberdade, vida própria, vontade própria, tudo o que temos, somos e fazemos deve objetivar a glorificação do Senhor… Este é  o grande propósito das nossas vidas!

Vivemos, como servos, debaixo da autoridade do Senhor com a finalidade única de glorificar o Senhor (Ef 1:6, 12, 14 “para o louvor da sua glória”; Rom 11:36 “pq Dele e por meio Dele, e para Ele são todas as coisas, a Ele, pois, a glória eternamente”)….

IV – SOMOS FRÁGEIS “NO SENHOR” (v. 4 “Eu mesmo disse: debalde tenho trabalhado, inútil e vãmente gastei as minhas forças…..”)

Jesus, o messias, enfrentou o sofrimento de uma forma jamais experimentada por qualquer homem em toda a história (Is 53:2b-3a “… não tinha aparência, nem formosura; olhamo-lo, mas nenhuma beleza havia que nos agradasse; era desprezado e o mais rejeitado entre os homens; homem de dores e que sabe o que é padecer” ).

Assim como aconteceu com Jesus, o fato de “sermos chamados, capacitados e servos do Senhor” não nos dá a garantia de que não enfrentaremos sofrimento.  Pelo contrário, ele esteve, está e sempre estará  presente nas nossas vidas  (II Co 1:8-9 ex. de Paulo).

O sofrimento de Jesus foi enfrentado  por Ele com a certeza de que o Pai estava por traz, cumprindo um propósito extraordinário (v. 4b “…. todavia, o meu direito está perante o Senhor, a minha recompensa, perante o meu Deus”; Hb 12:2-3 “… olhando firmemente… o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz…”).

Temos duas certezas absolutas e irrefutáveis: sofreremos e o nosso sofrimento será instrumento nas mãos de Deus para nos abençoar e abençoar todos aqueles que  Ele separou  para influenciarmos por nosso testemunho (I Pd 5:10-11).

V – SOMOS LUZ DO SENHOR NO MUNDO (v. 5-6)

A estratégia de Jesus – ser luz para 12 homens para que eles pudessem ser luz para o mundo inteiro…

CONCLUSÃO

Poema de Russel Keller (R.W – pg 24)

Pr Jair Francisco Macedo
Sermão pregado em janeiro/2018

Deixa seu comentário

Your email address will not be published.