A SOBERANIA DE DEUS – HC 3:3-19

28 de julho de 2019
A SOBERANIA DE DEUS  – HC 3:3-19

I – DEUS REVELA  SUA SOBERANIA AO LONGO DA HISTÓRIA  (v. 3-15)

“Deus vem de Temã e do monte Parã…..” – Temâ e Parâ estavam localizados entre o monte Sinai e Edon, ou seja,  na mesma região que Deus aparecera de forma singular a Moisés, revelando quais eram os valores e princípios que Ele tinha para Seu povo….

  1. Deus santo (v. 3 a“…. vem o Santo”)

O Deus inteiramente perfeito que em hipótese alguma e em momento algum pactua com qualquer manifestação de maldade…

  1. Deus glorioso (v. 3b-4“A sua glória cobre os céus e a terra se enche do seu louvor. O seu resplendor é como a luz, raios brilham de sua mão; e ali está velado o seu poder”)

O Deus que se manifesta por meio das coisas criadas sua grandeza (Sl 19:1 “Os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento anuncia as obras das suas mãos….”)

  1. Deus que tem poder sobre as nações (v. 5-6a, 12 )

* v. 5 (“Adiante dele vai a peste e a pestilência segue os seus passos”) –  Deus confrontou os poderes de faraó, enviando sobre o Egito dez pragas e, segundo os comentaristas, cada uma daquelas pragas representou a derrota de um deus egípcio….

* v. 6a (“Ele para e faz tremer a terra, olha e sacode as nações..”); v. 12 (“Na tua indignação, marchas pela terra, na tua ira, calcas aos pés as nações”) –  Deus sacodiu as nações e pisou nas nações: conforme já compartilhamos várias vezes, no tempo de Habacuque havia três grandes nações – Assíria, Babilônia (Caldeus) e Egito. A Assíria era a maior de todas, mas em 612 a.C foi derrotada pelos babilônios. Em 605 a.C. os egípcios atacaram os babilônios e foram igualmente derrotados. Na derrota do Egito, aconteceu também a derrota de Judá, pois este era uma espécie de satélite do Egito. Judá ficaria 70 anos debaixo  do cativeiro babilônico.  Mas Habacuque, segundo vimos no capítulo 2, discerne que Deus levantaria outra nação – os medo/persas – para derrotar os babilônios e cumprir o seu propósito entre as nações….

* v. 6b (“Esmigalham-se os montes primitivos, os outeiros eternos se abate, os caminhos de Deus são eternos”) – o poder dos imperadores era passageiro, mas o poder de Deus é definitivo,   pois Deus é eterno!

  1. Deus vitorioso (v. 7-9 “… andas montado nos teus cavalos, nos teus carros de vitória…”)

Habacuque se lembra da grande batalha dos judeus contra os midianitas (v. 7), que trouxe a eles aflição e temor, que foi vencida com os cavalos de Deus e os carros de Deus, ou seja, com a força vitoriosa de Deus…

  1. Deus comunicador (v. 10-11 “… as profundezas do mar fazem ouvir a sua voz…”)

Na medida que Deus ia agindo na natureza (v. 10 “… montes… torrentes de água… profundezas do mar”), Ele ia comunicando sua mensagem de um Deus santo e justo (Sl 29).

  1. Deus da aliança (v. 13-15 “Tú sais para salvamento do teu povo, para salvar o teu ungido…”

Todos os movimentos de  Deus ao longo da história estavam centrados num plano fundamental e imutável: em Abraão, Deus criou  a nação judaica,  para por meio dela abençoar todos os povos, estabelecendo uma aliança que transformaria toda a humanidade….

II – DEUS REVELA SUA SOBERANIA PESSOALMENTE (v. 16)

  1. Pela audição (v. 16 “Ouví-o….)

Priorizar a Palavra  (Hb 4:12)

  1. Pela interiorização (v. 16 “… e o meu íntimo se comoveu…”)

Priorizar o coração…..

  1. Pelo quebrantamento (v. 16 à sua voz tremeram os meus lábios, entrou a podridão nos meus ossos e os joelhos me vacilaram…”)

“Sacrifícios agradáveis a Deus são o Espírito quebrantado; coração compungido e contrito, não o desprezarás ó Deus” (Sl 51:17)

  1. Pela fé sincera em quietude (v. 16 “… pois, em silêncio, devo esperar o dia da angústia, que virá contra o povo que nos acomete”)

Habacuque aguarda a agenda libertadora de Deus, que se concretizaria depois de impor 70 anos de cativeiro a Judá: findado este tempo de opressão, os babilônicos seriam derrotados pelos medo-persas que, pelo dedo de Deus, permitiriam a Judá voltar a Jerusalém, reconstruí-la e restabelecer a vida de toda a nação…. Habacuque aguardou estes movimentos divinos em silêncio, como também fez o salmista Daví: “Somente em Deus, ó minha alma, espera silenciosa; dele vem a minha salvação” (Sl 62:1).

III – DEUS  REVELA SUA SOBERANIA EM TODAS AS  CIRCUNSTÂNCIAS (V. 17)

   “AINDA QUE….” = fragilidade, impotência, limite…..

  1. Deus é soberano ainda que não haja provisão (v. 17a “Ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; e o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento;”)
  2. Deus é soberano ainda que não haja segurança (v. 17b “as ovelhas sejam arrebatadas do aprisco, e nos currais não haja gado”)
  3. Retrato do Brasil dos nossos dias (VIVEMOS NO PAÍS DO “AINDA QUE”:)

* ECONOMIA:

+++ 13 milhões de desempregados, sem contar os milhões de “desalentados” porque já desistiram de procurar emprego;
+++ Reforma – a reforma da previdência, segundo a maioria dos especialistas,  é fundamental para equilibrar a nossa economia e salvar o país de um grande  caos no futuro. Contudo, ela sofre ataques fortíssimos pois, segundo o conhecido jornalista Lauro Jardim, a oposição prefere prejudicar o país, a dar ao governo atual uma vitória que venha lhe trazer grande retorno eleitoral….

* SAÚDE:

+++doenças que no passado já haviam sido consideradas erradicadas em nosso país estão aparecendo de forma assustadora;

+++ apesar dos esforços governamentais a saúde pública está profundamente doente, por falta de gestão e de honestidade no uso do dinheiro público destinado à saúde;

* SEGURANÇA:

+++ de janeiro a fevereiro de 2018 aconteceram em Goiânia 21 homicidios; neste mesmo período, em 2019, 72 homicídios;

++ só em Goiânia, no mês de março, aconteceram 13 suicídios;

* EDUCAÇÃO:

+++ O ministro da educação designado por Bolsonaro conseguiu demitiu 14 dos seus principais assessores até que, depois de dar todas as evidências de incompetência para o exercício do cargo, acabou ele mesmo demitido;

+++ Nos bancos de nossas escolas públicas estaduais prevalece uma filosofia chave – os professores fazem de conta que ensinam e os alunos fazem de conta que aprendem (pois sabem que não podem ser reprovados….).

CONCLUSÃO: SENDO DEUS VERDADEIRAMENTE SOBERANO (v. 18-19)

**** v. 18 “Todavia, eu….”

  1. Preciso reconhecer Seu propósito em qualquer circunstância (v. 18 “… me alegro no Senhor”)
  2. Preciso celebrar a Sua salvação em qualquer circunstância (v. 18 “….exulto no Deus da minha salvação…”)
  3. Preciso buscar a Sua vitória em qualquer circunstância (v. 19a “O Senhor Deus é a minha fortaleza, e faz os meus pés como os da corça, e me faz andar altaneiramente.”)
  4. Preciso celebrá-lo em qualquer circunstância (v. 19b “Ao mestre de canto. Para instrumento de cordas”)

Sermão ministrado em 14.04.2019. por JAIR FRANCISCO MACEDO.

Deixa seu comentário

Your email address will not be published.