Uma Igreja sintonizada com o Espírito Santo – Atos 13:1-3

24 de junho de 2019
Uma Igreja sintonizada com o Espírito Santo – Atos 13:1-3

Com 43 anos de vivência na igreja evangélica e 38 como pastor, completados no último dia 4 de janeiro, já aprendi algumas verdades sobre a igreja. Uma das principais, é que a igreja está essencialmente ligada a uma pessoa: o ESPÍRITO SANTO. Apesar de não negarmos sua existência, Ele é a pessoa da Trindade mais esquecida em nosso meio. Por isso, sentí a direção de tê-LO como foco principal de nossa reflexão e caminhada em 2019…..

Convido você a ver tudo que Lucas fala sobre a IGREJA,  nestes três versículos,  sob a perspectiva do ESPÍRITO SANTO….

  I – OPORTUNIDADE (“Havia na Igreja….”)

Lucas fala de uma igreja que nasceu a partir de oportunidades criadas pelo Espírito Santo (At 11:19-30): crentes perseguidos foram dispersos para a região de Antioquia (v. 19) e começaram a pregar aos judeus (v. 19) e aos gregos (v. 20), provocando um grande impacto com sinais claros da mão de Deus promovendo fé e conversão (v. 21). Este crescimento exponencial chegou ao conhecimento da igreja de Jerusalém (v. 22a), que logo enviou Barnabé (v. 22b), que solidificou a obra alí começada (v. 23) e evidenciou seu grande compromisso com o Espírito Santo (v. 24). Sentindo -se só, diante do grande desafio, Barnabé empenhou-se em levar para lá a Saulo (v. 25-26a). A partir desta igreja os discípulos começaram a ser chamados de “cristãos” (v. 26b). Ela, assim, nasceu forte e tornou-se solidária (v. 27-30), e, em tudo que envolveu seu nascimento e estabelecimento, estava o DEDO DO ESPÍRITO SANTO que viu na perseguição uma porta aberta para a missão….

Aplicação: o Espírito Santo na fundação e estabelecimento da Pedra Viva…

II – LOCALIDADE (v. 1 “…. de Antioquia…”)

Antioquia era a capital da província romana da Síria e terceira maior cidade do Império Romano. Tinha aparência imponente, cultura respeitada no mundo inteiro, vida rica e variada, mas uma má formação moral. Depois de Jerusalém é a cidade que está mais ligada aos primórdios da igreja…

Cada cidade tem sua identidade, história, cultura, economia, liderança…. e o Espírito Santo tem o coração voltado para as cidades onde  Ele estabelece a Sua igreja….

  III – HABILIDADES (v. 1 “… profetas e mestres…”)

Duas preocupações teve o Espírito Santo com a igreja de Antioquia: proporcionar às pessoas dons específicos para e proporcionar a elas uma unidade que se constituísse em base para o exercício dos dons.

Cada crente precisa de duas realidades que só o Espírito pode dar: especificidade (qual o seu lugar, sua praia, sua missão, sua tarefa?) e  comunidade (qual o seu povo, seu rebanho, sua família, seu time?)

 

     IV – INDIVIDUALIDADE (v. 1 “Barnabé, Simeão, por sobrenome Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, colaço de Herodes, o tetrarca, e Saulo”)

Lucas destaca as habilidades, mas também as pessoas que as exercessem, sinalizando um princípio importante: pessoas são mais importantes do que suas realizações. Não valorize as pessoas pelo que elas fazem, mas pelo que elas são.

As pessoas são diferentes…….

As pessoas são interdependentes….

As pessoas estavam na  Igreja de Antioquia por causa  da soberana  vontade do Espírito Santo: não há acaso ou circunstancialidade no fato de  nós estarmos aqui e não outros…….

  V – PRODUTIVIDADE (v. 2“E, servindo eles ao Senhor e jejuando …..”)

A igreja não é uma comunidade de cristãos com passagem  comprada por Jesus para o céu, vivendo ociosamente à espera do chamamento de suas senhas específicas para a eternidade. Ela é sempre será uma comunidade de serviço: em parceria; centrado no Senhor.

2019 é um novo tempo de serviço….

   VI – SENSIBILIDADE (v. 2 “…. disse o Espírito Santo”)

A vontade de Deus é boa, perfeita e agradável, e quem a revela de forma clara e inequívoca, nas Escrituras, no coração e nas circunstâncias é o Espírito Santo…..

Uma igreja viva é sensível às direções do Espírito Santo, por mais que elas, aparentemente, possam trazer transformações radicais na  sua caminhada….

VII –  ESTRATÉGIA (v. 2 “… separai-me, agora, Barnabé  e Saulo, para a obra que os tenho chamado…”)

O Espírito Santo:

* Vê a “separação” autorizada de alguns como o melhor caminho para o alcance de muitos (“separai-me”);

* Discerne com precisão o relógio  da história (“… agora…”)

* Vê além das nossas fronteiras (“… para a obra…”)

* Chama e capacita (“… para a obra que os tenho chamado…”)

         VIII – AUTORIDADE (v. 3 “Então, jejuando, e orando, e impondo sobre eles as mãos, os despediram….”)

At 1:8 A promessa do passado era realidade no presente….

Este é o ciclo do Espírito Santo: chamar, capacitar, autorizar e realizar…. Ele deve se repetir em todas as gerações da igreja.

   CONCLUSÃO

  1. O Espírito Santo está levantando novos presbíteros e diáconos
  2. Vamos orar, jejuar, observar e votar
  3. O resultado será crescimento missionário!

PREGADO em 13/01/2019

PR. JAIR FRANCISCO MACÊDO

 

Deixa seu comentário

Your email address will not be published.